10 de junho de 2016

Mentes Curiosas

Excelente artigo de Benedito Cantanhede que explora um tema mais que pertinente: a importância da curiosidade. Enjoy!


O Sucesso das Empresas Pode Estar nas Mentes Curiosas de Seus Colaboradores
por Benedito Cantanhede*

A curiosidade foi identificada como um dos principais traços necessários que as lideranças devem promover no ambiente empresarial de hoje, de acordo com um levantamento feito pela empresa  pwc.

Mas, mesmo sem essa qualificação da liderança, a curiosidade ainda tem uma grande quantidade de valor para os colaboradores e para as companhias. Pessoas com altos níveis de curiosidade têm muita sede de conhecimento e de novas experiências. Elas tecem seu caminho através de ambiguidade e geram ideias para novas formas de trabalhar. São chamados “mentes ágeis e adaptáveis”.

Todos nós operamos em ambientes cada vez mais complexos e desafiadores. O pensamento diário nas companhias é: o que os nossos concorrentes são, o que nossos clientes querem e quais serão, de forma rápida, os nossos processos internos e externos para lidar com as pressões e desafios constantes. Neste contexto, as pessoas com o QI mais alto podem sobreviver, mas são as pessoas com maior grau de curiosidade que vão prosperar.

A mente questionadora que está aberta a novas ideias e a aprender com as dos outros nunca teve tanta importância. Companhias cheias de mentes curiosas são mais ágeis, mais adaptáveis ​​e muito melhor equipadas para crescer e ter sucesso.

A boa notícia, segundo o estudo, é que a curiosidade é uma habilidade que pode ser aprendida. A má notícia é que muitas organizações tentam sufocá-la.

Existem maneiras de criar e ativar uma cultura da curiosidade. O primeiro e mais fácil passo é começar a fazer mais perguntas e ouvir as respostas das pessoas sem julgamento. Isso ajudará a criar o compartilhamento do que você aprendeu com as outras pessoas. Em segundo lugar, você não deve ter medo de aprender sem um propósito. Muitas vezes, nós limitamos nossa curiosidade, incidindo sobre o estado final. Algo como: “eu preciso saber X para fazer Y”. O aprendizado de forma mais aleatória é uma maneira fundamental em que a curiosidade pode levar à criatividade.  Ao conectar pensamentos e conhecimentos aleatórios, novas ideias podem surgir.

Tenho observado muito o segmento de cursos on-line gratuitos para desbloquear sua criatividade interna, ou eventos locais em áreas que você está apaixonado. Há uma série de ferramentas de resumo de livros, como o Blinkist, que oferece conteúdo gratuito e pode ajudar a lhe dar uma nova visão sobre um determinado assunto.

E, por último, o mais importante nisso tudo é criar uma cultura de criatividade em você e em toda a sua equipe.  Mentes curiosas se alimentam mutuamente. Experimente fazer com que cada pessoa compartilhe sua maneira de ser curiosa dentro e fora do ambiente de trabalho. Tente informar e inspirar as pessoas sobre diferentes modos de ser curioso. Deixe as pessoas saberem que o sucesso não é apenas o cumprimento de prazos e metas, mas também criar um ambiente de oportunidades para trazer novas ideias para o negócio de forma contínua. 

---------------------------------------------------------------
(*) Bené Cantanhede (foto) é CEO da BCONSULTING, empresa de consultoria em marketing, comunicação e treinamento corporativo. Com 28 anos de experiência, é publicitário, com MBA em Marketing, e professor da Escola de Negócios da Laureate International Universities. Nos finais de semana, é chef de cozinha comandando o projeto BC FOOD EXPERIENCE.

Um comentário:

Thiago Cal disse...

Muito bom.
Uma pessoa fera sobre este assunto e que eu acompanho é o Murilo Gun. Quem sabe um dia eu possa fazer um curso dele. http://reaprendizagemcriativa.com.br/home/
Abraços.