31 de janeiro de 2008

Portfolio do Atendimento

Como é que a gente mostra que tem talento para Atendimento? O que apresentar numa busca de emprego ou até mesmo numa entrevista? A turma da criação apresenta uma pasta com anúncios. E a gente?

Outro dia eu estava lendo o excelente Manual do Estagiário de Propaganda, do Eugênio Mohallem. Embora o manual seja 99,9% dirigido a quem deseja estagiar na Criação, há um item dirigido a quem quer estagiar em Atendimento com o seguinte comentário: “(...) Apesar da Criação ser a área mais desejada e procurada, entrar em Atendimento é mais difícil ainda. Por quê? Porque não existem parâmetros objetivos para avaliar o talento do iniciante nessa área. Acho que a seleção de estagiários em Atendimento acaba sendo meio na base do feeling, da química. Resta a você tentar uma entrevista com alguém da área, dizer que os deslumbradinhos adoram criação, mas você que é sensato gosta mesmo é de Atendimento – e torcer para irem com a sua cara. É difícil e imprevisível. Mas, pensando bem, essa dificuldade inicial é justa: afinal, para você que um dia vai estar convencendo clientes a aprovar campanhas que custam milhões de dólares, convencer alguém a comprar um estagiário bom e baratinho vai ser moleza”.

Não sei não. Embora a gente viva no país do fisiologismo, decisões com base na intuição não são exatamente o que se espera do responsável pela seleção de um profissional. E, há sim, parâmetros objetivos que podem ser explicitados no CV ou entrevista, como vou descrever neste post. Por isso concordo que a palavra convencer é crucial neste caso. E convencer alguém a contratá-lo não é ensaiar uma meia dúzia de frases de efeito e pronto. Para convencer uma pessoa, é preciso dar a ela argumentos e fatos que demonstrem o quanto você é a pessoa ideal para aquele cargo. No exercício da função, isso acontece sempre com o Atendimento. Então, por que não aplicar isso com a gente mesmo, na hora de se candidatar a um emprego? Antes de apresentar um projeto, a gente procura estar sempre munido de todos os argumentos para que a aprovação da campanha seja justificada para além do simples “gosto” ou “não gosto”. Para além do feeling. Mesmo uma contratação tem que ser justificável concretamente.

Então, vamos combinar, não basta um currículo descritivo, certo? É claro que para começar na profissão as características pessoais vão contar muito (e para continuar nela também), mas dentro destas características procure exemplificar o que fez ou quer fazer que demonstre a verdade disso na prática. Você tem características de liderança? Então coloque no seu currículo que você é síndico do prédio ou membro do centro acadêmico da sua faculdade. E por aí vai.

Se você já está trabalhando na área, então a coisa é ainda mais concreta. Quais contas você já atendeu e atende? Qual a verba que você administra em cada uma dessas contas? Que tipo de cliente você atende (varejo, serviço, produto, nacional, internacional)? Que resultados obteve com as campanhas das quais participou? Tem algum exemplo de uma ação sua que tenha feito a diferença na condução de um projeto? E não se esqueça de mencionar a quem você se reporta e quantas pessoas você comanda. Isso ajuda ao empregador a ter a idéia precisa de seu grau hierárquico na organização.

Aliás, sobre isso quero me estender mais um pouco. Tome cuidado para não soar pretensioso, principalmente se você está começando na carreira. Não enfeite o pavão se você não está com essa bola toda. Tenha o mínimo de senso crítico - que, aliás, é característica mandatória para um Atendimento. Parece incrível, mas já recebi currículos de pessoas na faixa dos 20 anos, candidatando-se à vaga de Assistente de Atendimento, cujo CV informa que exercem o cargo de Diretor de Atendimento. Mesmo que o candidato seja dono da empresa (vai que o cara é um empreendedor, começou cedo...) esta informação não soa crível. Sim, porque se é dono, por que procura um emprego? E se não é, por que vai querer baixar de função? Tá bom, vamos lá: suponhamos que você trabalhe em uma empresa muito pequena, que você seja o único Atendimento. Um pouco de autocrítica: isso realmente te faz “diretor”?

E, last but not least, ajuda também dar referências. Se você não der nomes e telefones de pessoas que possam atestar seu talento e competência, o empregador irá atrás dessa informação de qualquer jeito. Então, facilite a vida dele, pois você facilitará, claro, a sua.

6 comentários:

Fabner César disse...

Fico feliz em encontrar pela primeira vez uma abordagem completa sobre esse assunto, creio que orientará muitos iniciantes. Sinto falta de esclarecimentos sobre essa àrea que escolhi para trabalhar. E tenho encontrado muitos esclarecimentos e dicas neste blog.

Parabéns pelo trabalho!

Confissões de um publicitário disse...

E como esse post fala sobre a realidade. Sou uma das pessoas que escrevem o blog confissoesdeumpublicitário.blogspot.com , Viviane, e eu sei bem o que é ter dúvidas sobre o currículo de um Atendimento. Estou estagiando em uma agência júnior e penso em entrar logo no mercado, aí fico pensando no que pode fazer a diferença na hora de uma contratação. E o post falou mto bem sobre o assunto. E acredito que devemos unir à essas dicas, garra e iniciativa.

danielbcguedes disse...

Bacana. Já tive o prazer de trabalhar com a Kátia e posso compartilhar um pouco desta experiência de ter convivido com alguém que prefere sempre dividir seus conhecimentos para multiplicar resultados.
Criação X Atendimento. Não que não exista esta relação, mas depende muito de cada profissional, agência e setor.
No meu caso, como represento o lado da turma "maluco beleza", posso afirmar que funciona muito melhor a equação Criação + Atendimento = resultados mais produtivos, lucrativos e felize$$$.
E fica fácil e prazeiroso trabalhar com atendimentos do gabarito da Kátia. Espero que este site ajude a muitos profissionais que estão no mercado a repensarem alguns conceitos e a influenciar novas gerações. Podemos conferir que já está funcionandocomo.
Kátia, parabéns pela iniciativa.
Abs,
Daniel Guedes - redator

Kátia Viola disse...

Daniel, obrigada pela força e pelo carinho. Colaboração e integração são palavras de ordem. Sucesso pra vc.

sampa_ce disse...

Decidi pesquisar na internet referências para montar um bom CV.
Um dos primeiros links exibidos foi o de seu blog.
Logo cliquei, até porque já havia lido outros posts aqui.

Parabéns pela criação e por mantê-lo sempre atualizado com informações relevantes.

A última dica que fala para citar referências no CV é muito legal.
Farei isso com o meu.

Obrigado por sua inteligente contribuição na "Blogsfera".

Kátia Viola disse...

Obrigada, sampa_ce. A idéia é essa: compartilhar.