25 de fevereiro de 2013

Quando o Atendimento Migra Para Outra Área

Atendimento é um especialista em generalidades. Já ouviu isso? Pois é. Exercer a gestão de contas publicitárias exige que o profissional entenda um pouco de cada disciplina, desde o processo criativo até a execução do projeto aprovado pelo cliente. Essa característica da função acaba por oferecer ao profissional de Atendimento um contato próximo com outras áreas, o que não só aguça a curiosidade, mas desperta o interesse genuíno por exercer outras atividades.

Não é raro ver profissionais de Atendimento trabalhando no marketing de grandes empresas, virando clientes, por exemplo. E também não é raro que esses profissionais acabem por exercer outra disciplina dentro das agências. Vamos conversar melhor sobre isso nessa entrevista com a ex-Atendimento e atual planejadora Bel Nascimento* (foto):

KV - Bel, muitas pessoas dizem que “caíram de pára-quedas” no Atendimento, pois sua primeira opção ao entrar como estagiário seria criação. Como foi com você?
Bel - Com 19 anos e muita vontade de começar a trabalhar confesso que não escolhi. Mas acabei entrando em agência “via” Atendimento sem me sentir caindo de pára-quedas. Me disseram, na época, que era uma área na qual eu teria conhecimento do funcionamento da agência toda e contato com todos os departamentos. Me pareceu um ótimo lugar pra começar. Até porque com 19 anos a gente não pensa em ficar parada. Fiquei no Atendimento uns 6 meses e pulei, de novo sem pára-quedas, para a criação.Como estagiária de redação, fui feliz, fiz vários anúncios que guardo até hoje com carinho, mas acabei voltando pro Atendimento. Acho que, desde aquela época, estava buscando um departamento que ficasse “entre” o atendimento e a criação. Anos depois fiquei sabendo que o departamento, ainda inexistente na maioria das agências brasileiras, se chamava Planejamento.

KV – No que a função de Atendimento contribuiu para o seu desempenho na área de planejamento?
Bel - Ter o tal “contato com todas as áreas” sem dúvida ajuda - e muito - na função de um planejador. Não acredito no planejamento solitário, embora muitas vezes ele acabe tendo que ser assim em função de prazo e estrutura. Criar o hábito de conversar com a criação, a mídia e vários outros departamentos, seja no café ou numa sala de reunião, foi bem importante no meu caminho de planejadora. Fora isso, é fundamental que o Atendimento saiba MUITO sobre o negócio e as características do seu cliente, do mercado e do consumidor. Isso eu levei para o planejamento. Essa necessidade de saber de tudo, sempre.

KV - Embora sejam funções diferentes, ainda vemos em muitas agências o Atendimento exercendo também a função de planejador. É o famoso “Atendimento/Planejamento”. Pela sua experiência pessoal, você acha que as funções são compatíveis?
Bel - Compatíveis elas são, desde que esse profissional tenha energia para trabalhar 24h. Já vi muitos atendimentos/planejamentos excelentes pois eram ótimos na parte mais tática, de execução – definição de briefing, organização do projeto, liderança no andamento do job – e também na parte estratégica – insights, análise do mercado e concorrência, visão de oportunidades. Mas, na rotina da agência, dos prazos apertados e da correria, acabavam deixando um dos lados capenga. Na maioria das vezes, o lado do planejamento. Afinal, com arte final pra entregar, quem vai perder tempo pensando em insight?

KV- Tendo essa vivência nas duas funções, como você vê a integração entre Atendimento e Planejamento no processo de desenvolvimento de um projeto?
Bel - Acredito que o atendimento deve ter a liderança do projeto, sempre. E isso não quer dizer ser “tráfego” e sim ser um maestro. É garantir que todos os departamentos envolvidos tenham toda informação e direcionamento (isso mesmo, direcionamento, o que é bem diferente de um “ctrl C, ctrl V” do brief do cliente) necessários para fazer bem o seu trabalho. No caso do planejamento, quanto mais conversa melhor. Os melhores atendimentos com os quais trabalhei, tinham um raciocínio estratégico que muitas vezes gerava discussões riquíssimas. Não estavam preocupados em cobrar o PPT e sim em ter um pedaço seu tanto na estratégia quanto na criação.

KV – Como é o Atendimento dos sonhos do planejador?
Bel - Primeiro de tudo, gente boa. É isso mesmo. Um Atendimento com o qual dê vontade de conversar, de dividir, de chamar pro happy hour. Depois, alguém que queira fazer parte do trabalho e não só distribuir o trabalho. Isso tudo unido a um belo pensamento estratégico e coragem para enfrentar o cliente ou qualquer outro (planejadores incluídos) por uma ideia. Puxa, aí temos um baita Atendimento.

-----------------
(*) Bel Nascimento dirige sua própria consultoria de Planejamento Estratégico e tem trabalhado para agências como Grey Worldwide, Borghierh/Lowe, Staff, CO.R e clientes como Mercedes Benz, Unilever, Caloi, TIM, Ediouro entre outros.
É graduada em Marketing e pós-graduada em Psicanálise. Atuou em e dirigiu departamentos de Planejamento Estratégico das principais agências do país, como DM9DDB, Leo Burnett e Almap BBDO. 

5 comentários:

Dani Siltori disse...

Adorei esse post. Eu mesma tive uma experiência parecida.

Entrei em agência como Redatora, mas me encantei pelo Atendimento e pedi para mudar. Mas ainda assim, gostaria de ter uma experiência entre Criação e Atendimento também, o que seria o Planejamento! Só que a agência não tem esse departamento e, na verdade, aqui no interior de SP, são poucas as que têm.

Hoje trabalho em um Depto. de Marketing. Sim, virei cliente. Mas sinto muitas saudades do tempo da agência. O clima é bem diferente e as possibilidades de você lidar com diferentes mercados é muito empolgante, já que aqui lido sempre com o mesmo segmento.

Adoro o blog. Abraços!

Kátia Viola disse...

Obrigada pela audiência, Dani. Sucesso!

e disse...

Obrigada por esse artigo!

Tenho uma pergunta para você! Estou decidindo entre um programa pos de Atendimento e um de Planejamento. Eu gosto mas o papel de atendimento, mas algumas pessoas me disseram que o planejamento está acabando com a área de atendimento. Então, se eu fizer o programa de atendimento, você acha que eu vou ter problemas construir uma carreira nessa área?

Obrigada!

Kátia Viola disse...

Recentemente fiz um post respondendo a uma dúvida semelhante à sua. Dê uma olhada em http://atendimentopublicitario.blogspot.com.br/2012/10/voce-pergunta-e-gente-responde-para-o.html
Abs,

Ari disse...

Que blog ótimo! Queria te-lo descoberto antes!
Hoje é meu primeiro dia como assistente de atendimentp, mas na área de Produtora Audiovisual, depois do cliente, depois da agencia...bem ali no produto final!
Sempre trabalhei em produtora, sou formada em radio e tv, mas nunca como atendimento e estou ansiosa, curiosa e um pouco assustada!
Caí aqui buscando uma luz! Rs
Quando puder, por favor, desenvolva mais o assunto de atendimento em produtoras!!
Beijos