28 de fevereiro de 2008

O Primeiro Reality Show de Comunicação


Aconteceu na Itália, esta semana, o primeiro reality show de comunicação. Trata-se do Neutrality Show. A coisa toda consistiu em reunir numa casa seis publicitários que exercem funções diferentes em agências de igualmente diferentes especialidades. Tivemos ali um media planner que trabalha com mídia alternativa, uma executiva de contas que trabalha numa empresa de eventos, uma diretora de arte que trabalha numa agência de marketing direto, um redator que trabalha numa agência de publicidade, um executivo especializado em Web e uma assessora de imprensa. Que time, heim?

O jogo foi assim: eles precisavam trabalhar juntos atendendo a briefings passados por diversos anunciantes. Foi dado um tempo mínimo para eles pensarem na melhor estratégia, nas táticas a serem empregadas, na recomendação sobre os meios ideais para a comunicação do produto ou serviço. Além de tudo, eles ainda tiveram que preparar as apresentações e se reunir com os clientes para vender a proposta. E quem ganhou o jogo? Quem conseguiu ser mais “neutro”, isto é, o participante não poderia direcionar o trabalho para uma área específica em que ele trabalha (por exemplo, web), recomendando este meio só porque lhe é familiar, mas somente se fosse pertinente e relevante. Também era proibido usar termos pra lá de batidos e irritantes, como: appealing, proativo, urgentíssimo e impactante sob pena de desclassificação.

O jogo foi transmitido ao vivo pela internet de 26 a 28/2. Estão ali as reuniões de briefing e as apresentações aos clientes.

Só dá pena porque a gente precisa entender italiano, claro, mas sempre dá pra gente sacar alguma coisa devido à semelhança com o português. De qualquer forma, achei a idéia muito bacana. Alguém podia fazer algo semelhante por aqui, não?

2 comentários:

Pra quem não sabe disse...

Que banaca.

Mas logo na Itália? Terra de designers, berço de grandes marcas e pouco representativa quando o assunto é publicidade :)

Confissões de um publicitário disse...

Muito interessante mesmo. E a idéia reforça o papel da Comunicação hoje, criativa e inovadora.