15 de setembro de 2008

Você Pergunta e a Gente Responde - Vale a Pena Ser Atendimento?

Tenho 23 anos e trabalho como Atendimento há 5 meses em uma pequena agência de publicidade e propaganda. Nunca tinha trabalhado em agência antes, não tinha a menor experiência. A empresa apostou em mim e se propôs a me ajudar a aprender. Meus chefes me disseram que, por eu não ter experiência, meu salário seria baixo, mas se eu aprendesse rápido tudo mudaria em pouquíssimo tempo. Adoro a minha função, meu ambiente de trabalho e principalmente os amigos maravilhosos que eu conquistei. Como a agencia é pequena, acabo fazendo mídia, atendimento e um pouco de planejamento. Chego em casa todos os dias depois das 20 horas, e eu sou a que saio antes de todos lá. Já perdi as esperanças de fazer uma pós, um curso ou até mesmo uma academia. Me dei conta de que eu tinha um diploma e ganhava menos do que meus pais pagavam de mensalidade na faculdade. Comecei a me sentir pressionada a tomar uma decisão, a reavaliar se ser uma profissional de atendimento realmente era um bom negócio. Outras propostas de emprego surgiram e eu fui ficando cada vez mais confusa.
Maria
Campinas, SP
---------
Sou estudante de PP na Unisinos – RS. Minha formação sempre foi direcionada à comunicação: no ensino médio fiz o técnico de Publicidade e Propaganda. Fiz também alguns cursos complementares e minhas experiências profissionais também foram na área. Hoje, aos 25 anos, estou passando por uma verdadeira crise. Atuo como diagramadora há 4 anos, mas meu objetivo sempre foi trabalhar na área de Atendimento. Minha dúvida é a seguinte: como faço para buscar uma oportunidade na área já que meu currículo é quase todo de experiências como arte-finalista e/ou diagramadora? Estou cada vez mais perdida e insatisfeita.

Carla
Porto Alegre, RS
---------

KV - Interessante isso: duas jovens profissionais questionam como fazer para trabalhar na área de atendimento. Uma já está exercendo a função, mas não sabe se as exigências do dia a dia são essas mesmas. Outra quer exercer a função e não sabe como começar. Por que responder num post só? Em primeiro lugar, vamos combinar assim: as duas estão apenas começando. Maria porque trabalha há apenas 5 meses (sim, Maria, 5 meses é pouquíssimo tempo!) e Carla porque ainda nem começou a trabalhar em Atendimento,embora trabalhe há 4 anos como diagramadora. Partindo desse princípio: essa é a hora de investir, de apostar todas as fichas. De se propor a ganhar pouco, monetariamente falando, mas em contrapartida ganhar muito. Sim, porque nesse momento de carreira vocês vão encontrar pessoas dispostas a ensinar e a ter mais paciência com seus erros. É a hora de tentar, arriscar, errar muito para aprender bacana. Depois, isso vai ficar muito mais difícil, quase impossível. Vocês têm que mostrar que podem ser muito úteis: disposição, vontade de aprender e, porque não dizer, baixo investimento salarial para os empregadores.
Pra Carla: você já falou com seu chefe sobre o seu desejo de ser Atendimento? Eu também não era Atendimento no início da minha carreira. Mas quando pintou uma vaga de assistente de Atendimento eu estava lá e as pessoas sabiam da minha vontade de mudar. Me deram a chance. Para mudar de área tive que recomeçar, ganhar menos, investir. Eu apostei. Acho que deu certo, pois já faz 17 anos que estou exercendo a função.


Para Maria: sair tarde da agência? Não é privilégio do Atendimento. Publicitários trabalham por projeto, por job, não por hora. Trabalhamos com comunicação, que por si só já imprime mudanças constantes e velocidade. É claro que organização e infra-estrutura ajudam. Mas não são totalmente determinantes. Ser publicitário é por aí. Sendo Atendimento ou não. Já perdi a conta de quantas noites passei trabalhando, quantos finais de semana, quantos almoços em cima da mesa em frente ao computador.


No mais, boa sorte. Tem muita coisa ainda pela frente, isso é só o começo. Bem-vindas ao clube!

Um comentário:

Rodrigo disse...

Ola pessoal,

Para Maria e quem estiver na dúvida.
Deixo meu breve depoimento: Larguei uma profissão de dez anos para ser Atendimento e ainda ganhar menos. Estou falando isso para vocês saberem que não estão sozinhos, mas estou muito satisfeito com a profissão, conquistei clientes e amigos, ganhei contas e respeito e só estou começando, nem cheguei perto dos 17 anos de atendimento da Kátia. Qualquer profissão vai ser assim começar de baixo para se ter sucesso.

Um grande abraço

Rodrigo Canadá
Atendimento - Samba Publicidade
Santos - SP